Gol e Avianca se juntam na criação de uma nova holding

Companhias aéreas em conjunto atingem receita anual de US$ 7 bilhões e frota com 300 aeronaves.

Posted Friday, June 3rd 2022
Gol e Avianca se juntam na criação de uma nova holding

As companhias aéreas Gol (Brasil) e Avianca (Colômbia), anunciaram um acordo para a criação de uma nova holding de capital fechado e sede no País de Gales chamada Abra. O grupo irá controlar as duas empresas, além das outras marcas que englobam, Viva (Colômbia) e Sky (Chile). É importante ressaltar que a união não possui relação com a Avianca Brasil, controlada pela Ocean Air.

O acordo teve como consultores financeiros Evercore e RBC Capital Markets; o Milbank LLP, como consultor jurídico; na parte de assessoria jurídica, o Gibson, Dunn & Crutcher LLP; além do Lefosse Advogados e Brasilpar que assessoram o acionista controlador da Gol.

Somadas, as duas empresas devem atingir uma receita anual de US$ 7 bilhões, além de passarem a contar com uma frota  de 300 aeronaves. Espera-se, ainda, que o fundo americano Elliot realize um investimento de até US$ 350 milhões, como aponta o comunicado divulgado para os investidores da Gol. A expectativa é que nos próximos anos, o grupo atinja uma receita de US$ 10 bilhões, com expansão da frota para 500 aeronaves.

A família Constantino, controladora da companhia brasileira, será a maior acionista do Abra no início, com fatia de 41%, e Constantino de Oliveira Júnior, um dos fundadores e presidentes da Gol, ficará como CEO da holding.

“Este acordo coloca as companhias aéreas do Grupo Abra em posição de liderança em viagens aéreas na América Latina, atendendo a uma população de mais de um bilhão de pessoas e um PIB de quase US$ 3 trilhões, e oferecendo oportunidades significativas de capacidade e crescimento de receita. A estrutura corporativa única permitirá que cada companhia aérea gere resultados mantendo independentes suas marcas, equipes e cultura, e proporcione aos colaboradores mais oportunidades de crescimento pessoal e profissional em todas as fases de suas carreiras”, afirma Júnior, em nota sobre o negócio.

Entretanto, mesmo a família Constantino tendo a maior participação, a governança do grupo será feita por meio de um acordo de acionistas com co-controle dos principais sócios da Avianca. 

“Nossa visão é criar um grupo de transporte aéreo que enderece os desafios do século 21 e aprimore as viagens aéreas para nossos clientes, colaboradores e parceiros, bem como para as comunidades em que operamos”, diz Roberto Kriete, co-fundador da empresa colombiana, que será o chairman da holding em comunicado.

Já na co-presidência do grupo, estarão a frente Adrian Neuhauser, atual presidente e CEO da Avianca, e Richard Lark, atual CFO da Gol.

A criação do Abra tem como objetivos os seguintes pontos:

Redução no preço dos insumos - o principal deles o querosene, que teve o preço disparado pela guerra na Ucrânia e resultou em um aumento no preço das passagens, impedindo que a população voltasse a comprar como antes da pandemia.

Aumento da malha de rotas na América Latina - com a junção das companhias, a ideia é aumentar o número de conexões de voos dentro da região, além de permitir que os clientes usem milhas de uma empresa na outra.

Liderança nas questões ESG - através do grupo, o desejo das empresas é ter uma frota com menor uso de carbono e acelerar o cumprimento das metas ESG.